Dra. Lia Alves Schinetski, PHD

As pastas de dentes branqueadoras funcionam?

 

Essa é uma das perguntas que mais ouço no consultório. E a minha resposta é: ”Depende. Se você quer clarear os dentes, então não, elas não funcionam. Mas se você quer apenas remover manchas superficiais, elas podem trazer bons resultados”.

 
Explico melhor: a cor do dente é influenciada por uma combinação da sua cor intrínseca (que está associada às propriedades da dentina, a camada interna do dente) e da presença de manchas que podem se formar na superfície dental, pela aderência de pigmentos relacionados ao fumo, refrigerante, café, chá, vinho tinto, etc.

 

Como as manchas extrínsecas estão na superfície do dente, elas podem ser eliminadas pela ação abrasiva da limpeza feita em consultório odontológico e controladas pelo uso regular de um creme dental.

 

As pastas branqueadoras apresentam abrasivos que têm maior potencial para remoção de manchas, como alumina, dihidrato de dicálcio fosfato e sílica.

 

Por outro lado, a cor intrínseca do dente só pode ser alterada por uma substância que penetre no dente, liberando oxigênio para decompor as moléculas grandes de pigmento. Esses materiais são os géis clareadores, à base de peróxido de hidrogênio e peróxido de carbamida, usados no clareamento dental.

 

Na minha tese de doutorado, em 2008, dentre outras análises, comparei as pastas Colgate Total 12 e Colgate Total 12 Whitening quanto à alteração de cor dos dentes. Como resultado, elas não apresentaram diferença estatisticamente significante, ou seja, a pasta branqueadora não apresentou nenhuma vantagem com relação à cor. Diversos outros estudos comparando cremes dentais branqueadores e regulares apresentaram os mesmos resultados.

 

Nas prateleiras de supermercados e farmácias encontramos pastas como a Colgate Luminous White, que promove “1 tom mais branco em 1 semana”, um resultado que só pode ser obtido tão rapidamente por meio do clareamento de consultório.

 

Outras, como a Close up Diamond Attraction, promovem “branqueamento instantâneo”. Nesse caso, a pasta causa efeito clareador instantâneo de fato, porém temporário, porque muda as propriedades óticas por meio da espuma azul, que é o corante blue covarine, fazendo uma espécie de “maquiagem nos dentes”.

 

Já a Oral B 3D White, descreve na embalagem “remoção de até 90% das manchas superficiais”. Essa descrição é mais realista, apesar de eu achar que essa porcentagem é bem alta, já que algumas manchas são muito difíceis de serem removidas mesmo em consultório.

 

É importante também atentar para o fato de que as pastas branqueadoras são normalmente mais abrasivas do que as regulares, o que pode gerar um desgaste maior nos dentes.

 

Por isso, se você tem desgastes na região próxima à gengiva e retrações gengivais, não é recomendável usar estas pastas de dentes.

 

 

Referências:

Walsh TF et al. Clinical evaluation of the stain removing ability of a whitening dentifrice and stain controlling system. J Dent.2005;33: 413-8.

Joiner A. A silica toothpaste containing blue covarine: a new technological breakthrough in whitening.Int Dent J. 2009;59(5):284-8.

 

CONTEÚDO VIP
Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Seu E-mail:


, , , ,

Comentários

Nenhum comentário ainda

Deixe um comentário

(não será divulgado)